Ácido fólico na gravidez

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A suplementação de ácido fólico na gravidez é um hábito simples e que ajuda na correta formação do feto.

Ele serve para garantir uma gravidez saudável e o bom desenvolvimento do bebê, prevenindo malformações neurológicas.

Assim sendo, se estiver grávida ou planeja engravidar, deve ingeri-lo sob a forma de suplemento.

Quando começar a consumir ácido fólico na gravidez

O recomendado é que a ingestão de ácido fólico comece três meses antes de engravidar e deve prolongar-se, pelo menos, até o final do primeiro trimestre.

Esse consumo de ácido fólico deve ser iniciado cedo porque o tubo neural, a estrutura fundamental para o completo desenvolvimento do sistema nervoso do bebê (que se converte no cérebro e na medula espinhal), fecha nas primeiras quatro semanas de gestação, um período onde a mulher pode ainda não ter descoberto que está grávida.

A ingestão dessa vitamina três meses antes e depois de a mulher engravidar diminui pela metade as chances de o bebê apresentar malformações.

O consumo diário de ácido fólico antes e durante a gestação ajuda a diminuir o risco de lesões no tubo neural, prevenindo doenças como:

  • Anencefalia
  • Espinha bífida (quando o canal espinhal não é fechado)
  • Lábio Leporino
  • Doenças cardíacas
  • Anemia na mãe

Além disso, o ácido fólico é também responsável por ajudar na formação da placenta e no desenvolvimento do DNA, assim como diminui o risco de pré-eclampsia durante a gravidez.

Com tantos benefícios, a suplementação é recomendação unânime de obstetras, assim como da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Essa substância pode ser encontrada em seu estado natural (folato) em folhas escuras, como couve, brócolis e espinafre, além de frutas cítricas, feijão, gema de ovo e carne de fígado bovino.

Ácido fólico na gravidez, alimentos importantes

Porém, tenha muita atenção ao seguinte: uma alimentação rica nestes alimentos não exclui a suplementação com ácido fólico, pois o folato não é bem absorvido pelo organismo e a melhor alternativa é usar a forma sintética (comprimidos), sob orientação do seu médico.

E se eu descobrir a gestação depois do primeiro trimestre?

A recomendação para a ingestão da vitamina é durante o primeiro trimestre. Se você descobriu a gravidez no segundo ou terceiro mês (entre 4 a 12 semanas), ainda pode realizar a suplementação normalmente.

Porém, se a gestação realmente já estiver no segundo trimestre, somente seu médico obstetra poderá dizer se você precisa ou não ingerir o ácido fólico.

Essa medicação também está disponível na rede pública de saúde (SUS).

ATENÇÃO: toda medicação deve ser tomada sob orientação do seu médico.

Gostou deste artigo, veja vários outros em nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Tarifas e prazos

Tarifas

No intuito de prestar o melhor serviço para nossos clientes com alta tecnologia e segurança, o iFraldas retém um percentual de 7,99% sobre o valor das fraldas virtuais recebidas. Além disso, se o seu convidado efetuar o pagamento por meio de cartão de crédito, o Pagar.me (intermediadora de pagamento) cobra um percentual de 3,99%, ou, no caso de boleto bancário o valor de R$ 3,80 por boleto pago.

Quando da solicitação do resgate, informamos que não é cobrada taxa para a transferência. No entanto, a partir do segundo resgate, caso ocorra, será cobrada a taxa de 7,90 reais por transferência.

Prazos

O prazo para resgate das transações realizadas por boleto bancário é de 3 dias úteis. O prazo para resgate no caso de transações realizadas por meio de cartão de crédito é de 33 dias corridos. Em ambos os casos, o prazo para o iFraldas realizar a transferência dos valores é de 3 dias úteis, a partir da data de solicitação.