Grávida pode ou não pode comer: 10 alimentos para tirar suas dúvidas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Descobrir uma gravidez é provavelmente o acontecimento que gera maior quantidade de mudanças na vida da mulher. Alterações no corpo, busca de um novo estilo de vida, necessidade de estabilidade e planejamento financeiro.

Junto com as mudanças, vêm uma série de dúvidas das mais diversas naturezas. Dentre elas, estão questões relacionadas à alimentação. Afinal, não se trata somente da ideia de comer por dois, como muitos dizem. Mas sim da necessidade de garantir todos os nutrientes necessários para gerar uma vida dentro de si. E, além disso, há várias restrições alimentares que precisam ser levadas em consideração para evitar má formações, desconfortos durante a gravidez e até mesmo o aborto.

Por isso, separamos os alimentos que mais geram dúvidas para te ajudar a esclarecê-las.

Antes de mais nada, lembre-se que somente um médico poderá te orientar em relação a alimentação. Essas são orientações genéricas. Cada gravidez possui suas particularidades.

Então vamos a 10 alimentos que grávida pode ou não pode comer.

Grávida ou não pode comer sushi?

gravida pode ou nao pode comer sushi ifraldas

Um dos itens que muitas mulheres sentem falta é o sushi, inclusive já falamos sobre isso por aqui. Mas, afinal, grávida pode comer sushi? A comida japonesa que é tão popular no Brasil pode se tornar um grande risco durante a gravidez. O motivo é que a maior parte das peças é consumida de forma crua e, nesses alimentos, podem existir uma grande quantidade de mercúrio. O alto teor está presente em peixes como o atum fresco, por exemplo.

A ingestão do mercúrio em excesso pode gerar problemas ao sistema nervoso e imunológico do feto. Por isso, o consumo do sushi não é indicado durante a gravidez.

Além disso, o não cozimento do peixe pode fazer com que uma série de larvas não sejam eliminadas do alimento, uma vez que não é 100% esterilizado. Apesar de não fazer mal para o bebe diretamente, pode gerar problemas de saúde para a mãe, deixando-a doente e causando riscos à gravidez.

Por isso, o mais adequado é da preferência para peças cozidas ou passar um tempinho sem frequentar o bom e velho rodízio, buscando outras opções.

Grávida pode comer pimenta?

Grávida pode ou não pode comer Pimenta

É muito comum que, ao consumir alimentos com pimenta, as grávidas sintam desconforto e passem a ficar preocupadas em relação ao consumo desse tempero. Porém, a pimenta não faz mal para mãe ou para o bebê. A formação do feto não é afetada e a pimenta não é considerada como abortiva.

Entretanto, trata-se de um alimento que muda o pH do estômago. Essa situação tem consequências ruins para as grávidas. Afinal, elas já estão passando por modificações digestivas no corpo por conta da gestação. O intestino passa a funcionar de forma mais lenta, existe refluxo, azia e muitas outras questões. Por isso adicionar a pimenta no estômago pode não só atenuar esses sintomas como gerar outros que causam ainda mais desconforto.

Por isso, não há contraindicação em relação a pimenta, mas vale ficar de olho para garantir uma gravidez menos difícil. Evite alimentos com muita pimenta, ou prefira opções mais brandas ao paladar. Seu estômago vai agradecer!

Grávida pode comer camarão?

Assim como em relação ao sushi, muitas pessoas têm dúvidas sobre o consumo do camarão durante a gravidez. Esse alimento se encaixa na categoria de frutos do mar. Então, é importante tratá-lo de forma diferente e entender suas particularidades.

Assim como a lagosta e outros frutos do mar, o camarão não costuma ter um nível elevado de mercúrio. Com isso, eles passam a ser considerados como seguros durante a gravidez.

Até mesmo depois de dar a luz, alimentos com esse elemento também devem ser restritos na dieta, por conta da amamentação.

Mas é muito importante reforçar que é necessário conferir se o camarão foi realmente bem cozido, pois eles costumam se contaminar com bactérias com bastante facilidade. Se forem bem cozidos, as grávidas poderão comê-los com tranquilidade.

Por esse motivo, recomenda-se que o consumo seja feito apenas em casa ou em restaurantes de confiança. Nada de comer aqueles que são vendidos na praia!

Grávida pode comer chocolate?

Não existem evidências de que o chocolate afete a gestação ou saúde do bebê. O que acontece é que existem estudos com o objetivo de entender se o consumo desse alimento aumenta o risco de pré-eclâmpsia. Por esse motivo, muitos médicos e futuras mães preferem excluir o chocolate de sua rotina alimentar. Ao mesmo tempo, você não precisa se preocupar caso tenha consumido. O ideal é não exagerar.

Além disso, alguns médicos aconselham que as grávidas evitem o consumo exagerado de chocolate por conta de dois motivos. Um deles é o fato de que, quando se come muito chocolate, é normal ter perda de apetite, o que levaria a gestante a consumir menos aqueles alimentos tão necessários em sua dieta com nutrientes diversos. O segundo motivo é que o chocolate possui cafeína e o ideal é que as gestantes consumam até 200mg por dia apenas.

Sendo assim, um pouco de chocolate não faz mal. Basta ficar de olho para não exagerar!

Grávida pode ou não pode comer canela?

Grávida pode comer canela

Há controvérsias em relação ao consumo de canela durante a gravidez. Alguns médicos afirmam que não há problemas, já outros percebem indícios de que ela não faz bem.

O fato é que a canela pode gerar contrações uterinas e provocar sangramentos vaginais. Esses sintomas, obviamente, assustam qualquer grávida. Por isso é muito importante ouvir a visão do seu médico.

O motivo desses sintomas é o fato de que a especiaria funciona como um termogênico estimulante. Isso significa que o consumo da canela aumenta a circulação e a temperatura do corpo, estimulando as contrações musculares. Essas contrações podem acontecer inclusive no útero.

Por esse motivo, acredita-se que o chá de canela facilita a liberação do endométrio (parede do útero que se solta durante a menstruação). Em resumo, essa teoria acredita que a canela seria capaz de estimular o corpo a menstruar e, consequentemente, interromper a gravidez.

É importante lembrar que não existe comprovação científica. Trata-se de um conhecimento popular ainda em estudo.

Grávida pode comer carne de porco?

Não existe risco no consumo da carne de porco em si, se ela for de qualidade. O que precisa receber atenção redobrada é a procedência dessa carne. O risco está instalado em algo conhecido como “cisticercose”. É claro que qualquer pessoa poderia ser contaminada ao consumir a carne de um animal que possuía a doença. Porém, o sistema imunológico das grávidas é mais sensível e, com isso, o risco aumenta.

Comer a carne de porco vinda de um animal infectado pode gerar impactos graves para a saúde do bebê. Em casos mais graves, podem ser atingidos quadros como infecção no recém-nascido, parto prematuro, natimorto ou aborto espontâneo. Ou seja, a atenção deve ser redobrada com a procedência da carne.

Ao mesmo tempo, não se recomenda retirar completamente a carne da dieta, caso a mãe já não seguisse uma dieta vegetariana. O consumo de proteína é extremamente importante durante a gravidez e alterações na forma como ela é consumida, pode gerar problemas de saúde para a mãe. Por isso, cortar a carne da dieta não é algo necessário na maior parte das gestações.

Grávida pode ou não pode comer amendoim?

Grávida pode ou não pode comer amendoim

O amendoim é mais um dos itens que pode ser consumido, mas que é preciso ter atenção redobrada com o excesso. Ele é extremamente rico em diversos nutrientes e faz bem para saúde. Porém, ao mesmo tempo, por se tratar de um alimento altamente calórico, seu consumo exagerado pode resultar em dores fortes no estômago.

É claro que essas dores não trarão problemas de saúde para mãe ou para o bebê. Mas, como já se trata de um período com bastante desconforto na região abdominal, é interessante evitar para garantir uma experiência mais tranquila e, ao mesmo tempo, permitir que a mãe identifique com maior clareza a origem de suas dores, para diagnosticar com maior facilidade possíveis complicações na gestação.

Além disso, muitas pessoas desenvolvem alergia ao amendoim durante a amamentação. Por isso, é interessante reduzir o consumo já desde o início da gestação.

Por esse motivo, o amendoim segue a mesma regra do chocolate. Coma com moderação!

Grávida pode comer carne mal passada?

Não existe nenhuma restrição em relação ao consumo de carne vermelha durante a gestação. Mas é importante verificar se ela não está mal passada para evitar problemas para mãe e para o bebê.

O motivo é que durante todo o processo de industrialização da carne, podem se estabelecer na superfície ovos de parasitas, das mais diversas origens. Felizmente, nenhum desses ovos é capaz de sobreviver ao cozimento, mas ao mesmo tempo, dificilmente são retirados durante a lavagem da carne antes do preparo.

O parasita mais comum encontrado nessas situações são os causadores da toxoplasmose. Trata-se de uma das infecções mais perigosas para grávidas, podendo gerar má formação no feto. As chances de complicações, caso a mãe contraia a doença, são elevadíssimas.

Ou seja, grávidas podem consumir carne de qualquer animal tradicionalmente feito no Brasil como vaca, porco, pato, frango, peru, etc. Mas ao mesmo tempo, qualquer uma delas pode conter parasitas. Então, só faça o consumo se o prato estiver 100% cozido. Caso vá a um restaurante, vale inclusive pedir que esteja bem passada para garantir.

Grávida pode comer peixe?

De maneira geral, os peixes são muito interessantes para grávidas. Para garantir uma gestação saudável, é necessário consumir proteínas, fósforo, iodo e ômega 3, dentre vários outros nutrientes. E os peixes contêm esses itens! Por isso, é recomendado, inclusive, que as grávidas consumam peixes de 2 a 3 vezes por semana, pois eles são considerados como alimentos riquíssimos.

Ao mesmo tempo, é importante lembrar e estar sempre atenta às exceções (que são muitas!). Como foi dito no início do texto, é necessário que o peixe esteja muito bem cozido para eliminar diversas impurezas que podem colocar a saúde da mãe e do bebê em risco. Ou seja, nada de sushi, poke, ou qualquer outro tipo de prato em que o consumo do peixe seja feito de forma crua.

Alguns dos peixes mais indicados durante a gestação são: salmão, sardinha, linguado, arenque e pescada. Enquanto isso, alguns que devem ser evitados são atum, cação e peixe espada. O motivo é a alta concentração de mercúrio encontrado nesses peixes, que mesmo após o cozimento ainda permanece do animal. A presença do mercúrio, como dito anteriormente, pode gerar problemas no desenvolvimento neurológico do bebê.

Grávida pode abacaxi?

Grávida pode comer abacaxi

O abacaxi é mais uma das opções que se encontra na categoria “sim, mas não em excesso”. A fruta deve estar presente na dieta das gestantes por se tratar de um alimento extremamente rico em antioxidantes, elementos que combatem os radicais livres e acabam protegendo o bebê de malformações e possíveis alterações no DNA. Além disso, o abacaxi é rico em vitaminas A, C, B1, B2, B3, B5, B6, B9, manganês, magnésio e potássio, auxiliando fortemente a manter a imunidade em dia.

Ao mesmo tempo, é preciso ter cuidado com o possível consumo em excesso. O abacaxi possui uma substância chamada bromelina, uma enzima que induz movimentos musculares, inclusive uterinos. Por isso, assim como com a canela, existem indícios de que o consumo em excesso pode levar ao trabalho de parto precoce ou aborto.

Em resumo, existem muitas informações sobre o que as grávidas podem ou não podem comer. Grande parte delas faz parte de comprovações científicas, estudadas ao longo dos anos, mas algumas ainda dizem respeito a crenças populares. Independente disso, escute seu médico. Somente ele será capaz de diagnosticar seu quadro e entender o que realmente significa um risco de acompanhar toda evolução da gravidez.

Além disso, lembre-se de consumir apenas aquilo que te deixa mentalmente segura e siga sua intuição para garantir a saúde do seu bebê. Mesmo se todos te disserem que não há problemas em comer um prato específico, não coma se não se sentir à vontade ou tiver qualquer desconfiança.

Uma boa dieta para gestação é aquela que garante sua saúde física e mental, e do seu bebê, claro!

Ainda tem dúvidas sobre a alimentação durante a gravidez? Conte sua experiência nos comentários! Com certeza nossas leituras vão se identificar!

Ainda tem dúvidas sobre o que grávida pode ou não pode comer? Conte sua experiência nos comentários! Com certeza nossas leituras vão se identificar!

Créditos da imagem da capa – foto criada por gpointstudio – freepik.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Tarifas e prazos

Tarifas

No intuito de prestar o melhor serviço para nossos clientes com alta tecnologia e segurança, o iFraldas retém um percentual de 7,99% sobre o valor das fraldas virtuais recebidas.

Caso o convidado efetue o pagamento por meio de cartão de crédito, incidirá também um desconto percentual de 3,99% sobre o mesmo valor. É uma cobrança da Intermediadora de Pagamentos – Pagar.me.

Segue um resuminho para não haver dúvidas sobre as tarifas:

Cartão de crédito Boleto
7,99% + 3,99% 7,99%

Quando da solicitação do resgate, informamos que não é cobrada taxa para a transferência. No entanto, a partir do segundo resgate, caso ocorra, será cobrada a taxa de R$7,90 por transferência.

Prazos

A seguir nossa política de liberação e resgate dos créditos:

Cartão de crédito Boleto
Prazo para liberação 33 dias corridos Até 3 dias úteis
Prazo para transferência Até 3 dias úteis